Intelbras lança fechadura digital para portas de vidro

fr400_pers-esq

A intelbras apresentou ao mercado sua nova fechadura FR400 desenvolvida para portas de vidro, o produto buscar atender clientes que buscam praticidade, eliminando o uso de chaves.

A FR 400 foi desenvolvida para levar mais segurança às portas de vidro em residências, apartamentos, escritórios e ambientes comerciais.

Com instalação por pressão, fácil e rápida, o modelo pode ser instalado em portas com abertura para o lado direito ou esquerdo.

Suas chaves estão na ponta dos dedos. A FR 400 pode ser aberta com senha numérica pelo teclado touch screen, sendo possível cadastrar até 4 senhas ou através do chaveiro de proximidade (até 100 cadastros).

O sistema ainda conta com alarme antiarrombamento, que aciona um sinal sonoro (durante 1 minuto) na própria fechadura quando negadas 5 tentativas consecutivas de abertura ou na tentativa de violação

Ficou interessado?

Entre em contato com nossa equipe comercial e solicite um orçamento.

Empresa lança drone capaz de seguir um ser humano de forma autônomo

skydio-product-go-hands-free

A startup Skydio conseguiu criar um drone que segue objetos ou pessoas de forma autônoma. Com um sistema de câmeras e sensores aliados à inteligência artificial, o dispositivo persegue e filma objetos em movimento, sem que ninguém o esteja operando. O CEO da startup, Adam Bry, testou o produto em um vídeo para o The New York Times, e o resultado impressiona. Trata-se de um drone chamado de R1 e cuja tecnologia permite voos autônomos e reconhecimento de objetos em um dado espaço. O resultado? O executivo foi perseguido pelo drone, apesar de tentar se esconder atrás de uma árvore.

O R1 é acionado a partir de um aplicativo de celular. O usuário determina qual objeto será usado como alvo, que pode ser, inclusive, um humano. Basta um toque sobre a imagem da pessoa na tela. A tecnologia, apesar de impressionante, levanta preocupações por acabar abrindo margem para perseguições de indivíduos por drones de forma não consensual e arbitrária.

skydio_1

O executivo diz que alerta seus clientes para serem “responsáveis” no uso do drone. Porém, mesmo as leis norte-americanas não são tão eficientes para barrar o poder destes veículos: embora haja uma ideia de que eles devem estar no campo de visão de seus proprietários, Bry afirma que há permissão para que ele vá mais longe por períodos determinados, desde que não interfiram no espaço aéreo.

O objetivo da Skydio, inicialmente, era desenvolver um dispositivo que se movesse sem a necessidade de um piloto. O projeto teve início em 2014, quando a companhia conseguiu investimento de US$ 70 milhões. “Nossa visão é que quase todos os casos de uso de um drone seriam melhores com autonomia do dispositivo”, disse Bry. Ele fundou a empresa com o executivo Abe Bachrach. Ambos se conheceram durante a graduação no Massachusetts Institute of Technology (MIT).

O funcionamento dos drones foi possível graças à inteligência artifical e à técnica chamada de “deep learning” [aprendizado profundo de máquina]. A técnica já pode, inclusive, conduzir um carro em um ambiente barulhento e complexo. Através dela, o drone se torna capaz de reconhecer o espaço em que está voando, de forma a diferenciar as características dos objetos à sua volta.

Fonte: Época

Segurança para condomínios: veja por que é importante ter bons equipamentos

seguranca-para-condominios

Infelizmente não é preciso procurar muito para encontrar notícias sobre furtos e assaltos no Brasil. Cidades de todo o país registram diariamente casos de invasão e arrastões em casas e edifícios, planejados e realizados de forma cada vez mais ousada – só São Paulo capital e Manaus registraram cada uma, mais de 60 casos do tipo em 2016. Por isso, pensar na segurança dos condomínios torna-se indispensável para tentar minimizar a violência.

Investir em equipamentos de segurança para condomínios é uma alternativa que ajuda a monitorar e controlar o acesso de pessoas. Câmeras, porteiros eletrônicos, iluminação, cercas elétricas, alarmes, sensores e outros dispositivos são algumas opções disponíveis no mercado. Mas, antes de escolher quais equipamentos investir, é preciso levar em conta as necessidades específicas do condomínio, estudar a área de cobertura e o planejamento da segurança para que as soluções estejam integradas e funcionem corretamente.

Neste momento, o papel do síndico ganha ainda mais responsabilidade. Ele será o encarregado de buscar e escolher as melhores soluções em segurança para seu condomínio. O primeiro passo é encontrar uma empresa confiável, que tenha bons equipamentos e dê suporte na instalação e no uso de cada solução, além de garantir um pós-venda em caso de problemas nos produtos. Vale lembrar que essas condições são importantes para evitar falhas e manter os equipamentos sempre em funcionamento.

Soluções integradas ajudam na segurança em condomínios

Outro ponto que podemos destacar é a possibilidade de organizar e montar todo o sistema de segurança com uma única empresa. Com as tecnologias ‘conversando’ entre si e um único suporte, fica mais fácil integrar as soluções e minimizar possíveis falhas. Imagine que você poderá instalar câmeras de monitoramento pelas principais áreas do condomínio e disponibilizar uma central em cada uma das unidades para que os moradores acompanhem a movimentação de pessoas, inclusive por smartphones ou tablets. Será mais fácil para eles reconhecerem a chegada de seus convidados e liberar o acesso com segurança, por exemplo.

Por isso, nem sempre a opção mais barata será a melhor escolha. Algumas marcas menos conhecidas e de fora ganharam mercado nestes últimos anos ao oferecer equipamentos com preços mais baixos que as opções nacionais. Mas, neste caso, não será possível contar com suporte nem ter garantias de qualidade dos produtos.

Entre as marcas nacionais, a Intelbras é uma das referências neste segmento de segurança para condomínios. A empresa, que está no mercado há mais de quatro décadas, só oferece produtos que passam por um rígido processo de teste de campo, para evitar ao máximo problemas futuros.

Este tipo de garantia, assim como uma boa manutenção, deve ser levada em conta na hora de escolher a marca dos equipamentos de segurança para o seu condomínio. Como vimos, a integração do sistema e a qualidade dos produtos ajuda a evitar falhas e a melhor proteger os moradores.

Tipos de equipamentos para segurança em condomínios

Hoje há uma série de itens que ajudam a aumentar a segurança em condomínios. Segundo dados do IBGE (Pnad 2009), 34,8 milhões dos domicílios brasileiros – cerca de 60% do total – já usam pelo menos um dispositivo de segurança. Desse total, a maioria está concentrada em áreas urbanas (64,9%). Listamos aqui alguns dos principais equipamentos e soluções utilizadas na segurança de condomínios. Confira e veja o que melhor se adequa ao seu caso:

  • Controle de acesso: registro detalhado e gerenciamento de todo o fluxo de pessoas e automóveis por meio de dispositivos de identificação com tecnologia de ponta desenvolvidas exclusivamente para condomínios.
  • Controle de acesso, monitoramento e interfonia por vídeo: possibilidade de receber mensagens de áudio e vídeo de quem esteve no condomínio na sua ausência e assisti-las de seu apartamento. Atender suas visitas de onde estiver através do smartphone com um simples toque, monitorar as câmeras do condomínio de dentro do seu apartamento e muito mais.
  • Câmeras e gravadores de segurança (CFTV): proteção de patrimônio e funcionários através do monitoramento por câmeras de segurança. Acesso ao vivo das imagens dos diversos ambientes dentro do condomínio.
  • Iluminação de emergência: luminárias para corredores, escadas e blocos que iluminam ambientes maiores (como estacionamentos) em caso de queda de energia.
  • Detecção de incêndio: sistema de detecção de alarme de incêndio endereçável que identifica com exatidão o local do princípio de incêndio e é ideal para grandes ambientes; e sistema de detecção de alarme de incêndio convencional, que auxilia na prevenção deste tipo de acidente e é uma ótima opção para ambientes pequenos;
  • Eletrificadores (cerca elétrica): proteção ostensiva com muita potência de choque e atendendo a todas as normas de segurança.
  • Alarmes e sensores: é possível monitorar e prevenir movimentações suspeitas, interagir remotamente com o sistema de segurança, automatizar lâmpadas, cortinas, portões, e com a tecnologia de ponta de alguns equipamentos, o monitoramento pode ser feito até pelo smartphone.
  • Rádios outdoor: soluções wireless para conexão entre câmeras de segurança instaladas em locais distantes. Muito usado em condomínios horizontais.
  • Radiocomunicadores: com os radiocomunicadores é possível manter a comunicação entre os funcionários do condomínio de forma simples e ágil, independente da distância entre eles.

10 dicas de segurança para sua casa nas férias

Aproveite as férias tranquilo, veja dicas para evitar assaltos em sua casa enquanto estiver viajando.
2015-01-16_15-55-00-840x300

Infelizmente existem quadrilhas especializadas em assaltar residências, durante o período em que você mais deseja ter tranquilidade, é também o momento em que sua residência fica mais vulnerável, então antes de fazer as malas veja algumas dicas que preparamos para que você possa aproveitar suas merecidas férias mais tranquilo.

1. A tecnologia pode ser sua aliada

Se sua residência ainda não possui um sistema de segurança como câmeras e alarmes procure conhecer as opções disponíveis no mercado, atualmente os sistemas permitem um controle total mesmo a distância através do seu celular, os preços são acessíveis e vale o investimento. Para instalação procure por empresas certificadas e homologadas pelos fabricantes dos equipamentos.

2. Seja discreto

Atualmente com as redes sociais acabamos postando praticamente tudo sobre nossas vidas, as viagens normalmente são o tipo de postagens que a grande maioria das pessoas mais gostam de postar,  mas infelizmente essas informações podem acabar em mãos erradas, evite postar o período em que a casa irá ficar sozinha, também evite passar essa informação a estranhos.

3. Cuidado com o excesso

Aquele cadeado grande e correntes espalhadas pelo portão do lado de fora, pode não ser uma boa ideia, casas com esse tipo de “sistema” deixa claro para todos que passam na rua que a casa está vazia.

4. Familiares e amigos podem ajudar

Se sua viagem for por um período maior tente deixar alguma pessoa de sua confiança com acesso a casa, a movimentação de pessoas na casa e luzes acessas afasta a ideia de que a casa está vazia. Se você mora em um condomínio não esquece de deixar autorizado na portaria o acesso desta pessoa.
A tecnologia  pode ajudar aqui, atualmente há diversos sistemas hoje que permitem acender e apagar luzes remotamente, dando a sensação que há pessoas na residência.

Prefeitura de SP sanciona lei que prevê sinalização especial em portões eletrônicos

Regulamentação quer deixar a entrada e saída de carros mais previsível para pedestre e evitar atropelamentos.
Nos portões que avançam sobre a calçada deverá ser instaladas sinalizadores.

A Prefeitura de São Paulo sancionou lei que prevê sinalização especial em portões eletrônicos de casas, condomínios e comércios da cidade.

A ideia é deixar a entrada e saída de carros dos prédios e casas mais previsível para quem está andando na calçada e evitar atropelamentos.

De acordo com a regulamentação, os portões não poderão ultrapassar o alinhamento do prédio, invadindo a área da calçada. Os condomínios e proprietários de imóveis têm seis meses para fazer as mudanças.

Após tal prazo, se for flagrado ainda irregular, o dono receberá uma intimação para fazer as adaptações. Caso siga sem fazer, a multa será de R$ 250. A gestão municipal ainda não definiu quem vai fiscalizar os portões da capital.

Quem não quiser colocar um portão de correr lateralmente, ou que abra para dentro da garagem, vai ter quer instalar sinalizadores visuais e sonoros ou sensores que impeçam a abertura do portão quando está passando um pedestre.

Márcio Rachkorsky, especialista em condomínios e consultor do SP2, acredita que a lei vai ajudar a evitar acidentes.

“Todo dia tem pequenos acidentes: um ciclista, uma mãe com carrinho de bebe, um idoso e de repente um carro sai sem prévio aviso e todo mundo leva susto, ás vezes um pequeno atropelamento, então a lei vai evitar esse tipo de pequeno acidente.”

“Isso não vai mexer muito nos caixas dos condomínios. É um gasto só, de adaptação e depois a manutenção é a mesma que se faz hoje.”

  • Fonte:
  • > G1.com
  • > Diário Oficial / SP